31 janeiro 2012


Pra dar risada com a criançada...

1


Quando o cachorro fica desconfiado?


-Quando fica com a pulga atrás da orelha.


Qual é a coisa que é que tem 8 letras e quando tiramos a metade ainda fica 8?

-É o biscOITO



O que é que cai em pé e corre deitado?

-Minhoca de pára-quedas. Pensou que era a chuva né!?


O que é o que é: tem 5 dedos, mas não tem unha?

-A luva.


O que é, o que é? Que é meu, mas meus amigos usam mais do que eu?

-O meu nome.


Ao todo são 3 irmãos: o mais velho já se foi o do meio está conosco e o caçula não nasceu?

-Passado, presente e futuro.


Qual o lugar em que todos podem sentar menos você?

-O seu colo.

Por que algumas pessoas colocam o despertador  debaixo do travesseiro?

-Para acordar em cima da hora.

O que tem no meio do ovo?

-A letra 'v'.

Quem é que nasce no rio, vive no rio e morre no rio, mas não está sempre molhado?

-O carioca.

Qual a cidade sul-americana que pende nos galhos da árvore?

-Lima. (Capital do Peru).


O que é o que é: destrói tudo com três letras?

-Fim

 
 
Fonte: http://piadas-infantis.blogspot.com/2009/07/piadinhas-professora-mae-e-pai-x.html

Por que as crianças chupam dedo?

2


Estava olhando algumas fotos das crianças e encontrei essa, Hannah com uns 08 meses, sempre com o dedinho na boca. Pela minha pouca experiência acabei desmamando a pequena muito cedo e acredito que o dedinho na boca seja um hábito adquirido devido á isso, até hoje Hannah continua chupando o dedinho, já criou um calinho de tanto chupar.
Quase todas as crianças pequenas chupam o dedo. Elas têm uma necessidade  de sugar.

A maioria das crianças chupam  os dedos, principalmente  quando estão com fome, com sono, inquietos, desconfortáveis, chateados, com os dentinhos nascendo ou mesmo sem nenhum motivo especial.
Outro ponto interessante para as crianças que chupam dedo pode estar vinculado de um  modo geral, á carência  de atenção. É um sinal que ela precisa de um carinho, um beijo, um abraço apertado.


  •  Seu filho está cansado, agitado, nervoso: o dedinho na boca funciona como um consolo
  • A chegada de um irmãozinho pode fazer a família se esquecer do mais velho, que se sentirá frustrado.
  • Crianças muito sozinhas, sem um amiguinho para brincar, geralmente são deixadas em frente à televisão. Distraídas e entediadas, acabam criando o hábito de botar o dedo na boca.
O que pode ser feito para auxiliar a criança que chupa dedo?
  •  Convidar seu filho para participar de atividades divertidas, como cantar e dançar.
  •  Determinar um horário para assistir televisão e, na medida do possível, fazer companhia a ele. 3. Levá-lo para passear e brincar ao ar-livre.
  •  Ser amoroso e paciente, respondendo a todas as suas perguntas.
  •  Não repreender, não ameaçar, não ridicularizar e não castigar quando o vir com o dedo na boca.
  •  Não enfaixar ou colocar esparadrapo no dedo. Não funciona.


A criança muito sensível ou tímida, que parou de chupar o dedo, pode voltar ao hábito em situações estressantes, como entrar para uma nova escola, mudar de casa ou depois do nascimento de um irmão. Normalmente, não passa de uma fase e desaparece com o tempo

 
 
Fonte: http://dicasdepediatria.blogspot.com/
            http://papodebebe.rozenlandiababy.com.br/

30 janeiro 2012


5

26 janeiro 2012


Penteados lindos!

12









Fonte: www.pentiados.com.br

25 janeiro 2012


O pão nosso de cada dia

2







Lá em casa todos nós somos loucos por pão, a família toda é fã de todos os tipos de pães.

Até o pequenininho ama ficar mordendo os pães, acredito que ajuda a coçar um pouco as gengivas e alivia o stress…

Considero o pão algo sagrado, me faz refletir a Ceia, onde Jesus reuniu os seus discipulos e repartiu o pão entre eles.

Mateus 26:26-29;

E, quando comiam, Jesus tomou o pão, e, abençoando-o, o partiu, e o deu aos discípulos, e disse: Tomai, comei, isto é o meu corpo.

O pão nos traz o sentimento de comunhão, de compartilhar, de família, é importante "partir" o pão com nossos familiares… é importante sentarmos á mesa com os nossos filhos e compartilharmos as bençãos que Deus nos tem dado.



Primeiro Jesus orou para agradecer a Deus pelo pão e então todos o comeram.

Depois Ele orou novamente para agradecer ao Pai pelo cálice e todos beberam dele.



Hoje estava refletindo que não tenho ensinado a meus filhos á agradecerem pelo alimento, Jesus agradeceu, rendeu graças ao Pai.

Confesso que coloco a comida no prato e dou para os meus filhos, nunca ensinei á agradecer á Deus por aquele alimento, ás vezes só lembramos quando não temos mais algo ….

Irei mudar a minha postura e serei exemplo para eles, hoje mesmo estarei agradecendo…

Estava analisando.. Geralmente fazemos um pacote de oração á noite, pelo dia completo, tem pessoas ainda que já deixam a oração escrita na parede, dá uma olhada rápida e dorme.

Vou rever meus conceitos, precisamos de maior comunhão com Deus..



Curiosidades..



Vcs sabiam que o pão foi produzido pela primeira vez há 6000 anos, segundo os historiadores o pão teria surgido juntamente com o cultivo do trigo, na região da Mesopotâmia, onde atualmente está situado o Iraque. Supõe-se que a princípio o trigo fosse apenas mastigado.

Acredita-se que os primeiros pães fossem feitos de farinha misturada ao fruto do carvalho (chamado bolota, lande ou noz). Seriam alimentos achatados, duros, secos e que também não poderiam ser comidos logo depois de prontos por serem bastante amargos. Assim, talvez fosse necessário lavá-los em água fervente por diversas vezes antes de se fazer as broas que eram expostas ao sol para secar. Tais broas eram assadas da mesma forma que os bolos, sobre pedras quentes ou embaixo de cinzas .

O pão fermentado, semelhante ao que comemos hoje, já era consumido pelos egípcios por volta de 4000 anos a.C. No Antigo Egito, o pão pagava salários e os camponeses ganhavam três pães e dois cântaros de cerveja por dia de trabalho e agente ainda reclama do salário que recebe…..rs… quem queria ganhar um salário desse….

As primeiras padarias surgiram em Jerusalém, após o contato com os egípcios, com quem os hebreus aprenderam melhores técnicas de fabricação e obtiveram a receita. Pouco tempo depois, já existia na cidade uma famosa rua de padeiros.

A Organização Mundial da Saúde recomenda que as pessoas comam 50 kg de pão em um ano ( se eu seguisse essa recomendação, estaria uma baléia ). O país que mais come pão é Marrocos, sendo que em média cada marroquino come 100 kg de pão por ano. O país que mais se aproxima do ideal é o Uruguai, comendo em média 55 kg/pessoa/ano.



E aí vai comer pão hoje?

24 janeiro 2012


A Língua de Nhem

4


Poema de Cecília Meireles..






Havia uma velhinha
que andava aborrecida
pois dava a sua vida
para falar com alguém.

E estava sempre em casa
a boa velhinha
resmungando sozinha:
nhem-nhem-nhem-nhem-nhem-nhem...

O gato que dormia
no canto da cozinha
escutando a velhinha,
principiou também
a miar nessa língua
e se ela resmungava,
o gatinho a acompanhava:
nhem-nhem-nhem-nhem-nhem-nhem...



Depois veio o cachorro
da casa da vizinha,
pato, cabra e galinha
de cá, de lá, de além,
e todos aprenderam
a falar noite e dia
naquela melodia
nhem-nhem-nhem-nhem-nhem-nhem...



De modo que a velhinha
que muito padecia
por não ter companhia
nem falar com ninguém,
ficou toda contente,
pois mal a boca abria
tudo lhe respondia:
nhem-nhem-nhem-nhem-nhem-nhem..



23 janeiro 2012


A importância dos Exercícios Físicos durante a gestação

3
Segue matéria muito interessante, elaborada por Valéria Oliveira, estudante de Fisioterapia, da Unime Salvador.
Valéria é uma apaixonada por Fisioterapia, entente demais do assunto e está contribuindo conosco, nos envio um texto maravilhoso sobre a importância  dos exercícios físicos durante a gestação.




A gestação é um período de muitas mudanças no corpo da mulher. Desde as primeiras semanas de gestação até o parto, o corpo passa por transformações para desenvolver, nutrir e proteger o feto até o momento em que ele sai do útero materno. Para conseguir que isso aconteça a mulher muda o funcionamento do seu organismo e muitas vezes, surgem alguns desconfortos que são característicos desse período.


As mulheres ganham peso, sofrem alterações circulatórias que causam inchaço, respiratórias como a falta de ar, digestivas como enjôos e prisão de ventre, alterações posturais como dores nas costas. Isso tudo leva a mulher a sentir dores e desconfortos durante esse período, além de muitas vezes impedi-la de executar as tarefas diárias em seu trabalho ou na sua casa.

Com isso muitas gestantes encontraram as soluções desses problemas com a prática de alguns exercícios físicos durante esse período. Com o acompanhamento profissional adequado, esses exercícios melhoram a postura, ajudam no controle da respiração, aliviam as dores, melhoram a circulação sanguínea, controlam o ganho de peso, melhoram o funcionamento dos organismos das futuras mamães como um todo. Além de preparar a mulher para o parto normal, os exercícios ajudam na recuperação após o parto Cesário ou normal, facilitando o retorno do corpo a forma física anterior.

Os exercícios podem ser executados na água, (o que permite reduzir a carga na coluna e nas pernas), como a hidroterapia, assim como em solo como algumas terapias (técnicas do RPG, técnicas do Yoga, técnicas do Pilates, técnicas com alongamentos). É bastante comum os exercícios serem executados em grupo com várias grávidas, são também executados com pouca carga e bastante concentração, o que também ajuda o contato com o bebê durante as terapias.

Existem também na fisioterapia os exercícios de Kegel, que trabalham a musculatura do assoalho pélvico. Esses músculos controlam e sustentam o útero e todo o aparelho reprodutor feminino, e o ânus. Com a gravidez essa musculatura é sobrecarregada devido ao aumento do útero materno e, durante o parto, devem ficar mais frouxos para a passagem do bebê. Os exercícios de Kegal ajudam no controle da bexiga, vagina e ânus para que esses órgãos controlem suas atividades, fortalecem esses músculos para ajudarem no momento do parto, e diminuir a sobrecarga causada pela gravidez.

É extremamente necessário que a gestante procure o médico para avaliar se há condições de serem realizadas essas atividades. Devido a problemas durante o período da gravidez (gravidez de risco) algumas mulheres não podem executá-las. Normalmente, é a partir do terceiro mês da gestação e após liberação médica que se pode dá início a esses tipos de exercícios. E caso haja qualquer alteração como sangramento, cólica, diminuição de peso do feto (problemas bastante incomuns pelas características dos exercícios e por não sobrecarregarem o funcionamento do organismo), deve-se suspender a prática dessas atividades e procurar o médico. Porém, é extremante necessário que a futura mamãe se cuide e cuide da saúde dela e do bebê, afinal a gravidez é um período muito bonito para a mulher e sua família, e deve ser aproveitado sem nenhuma interferência.

20 janeiro 2012


Quantas vezes devemos perdoar ?

4
 
 
 
Essa foi a pergunta que Pedro fez a Jesus. “Senhor, até quantas vezes meu irmão pecará contra mim, que eu lhe perdoe? Sete vezes? Respondeu-lhe Jesus: Não te digo que até sete vezes, mas até setenta vezes sete” (Mateus 18.21,22).


Estava refletindo sobre essa palavra e percebi que nos dias de hoje, a humanidade está a cada dia com o coração mais endurecido, as pessoas estão mais rancorosas.

Muitas famílias estão amargas e criando filhos traumatizados.

Semana passada minha filha quebrou dois perfumes de uma marca famosa, um deles eu havia acabado de comprar para presentear minha sobrinha. Fiquei triste pelos perfumes, mas conversei com ela e expliquei que não pode mexer nas coisas da mamãe. O engraçado foi que o perfume alfazema caiu também no chão e não quebrou………….

Eu pensei .. Mas como pode???? Veio quebrar logo o perfume mais caro…. Enfim… deixa pra lá…

Precisamos ser mais pacíficos, cautelosos com os nossos filhos, educar é um processo, não acontece da noite para o dia… é uma caminhada.

Precisamos aprender a perdoar e a pedir perdão, é tão difícil não é….

Mas traz um alívio tão grande.



Um grande abraço!

18 janeiro 2012


Turma da Mônica em: O sumiço de todas as mães

4


Encontrei esta imagem de Maurício de Sousa lá da turminha da Mônica e me fez refletir sobre mim, sobre minha família.


A vida da gente é tão incrível, um dia somos crianças, precisamos de colo, outro dia, geramos crianças, e somos responsáveis por dar colo.

Hoje eu tenho este dom de dar amor, a vida se encarregar de nos ensinar a amar, a educar, a cuidar, a possuir este instinto materno.

Achei tão linda essa imagem, lá em casa é assim, quando chego do trabalho as crianças ficam falando.... mamãe.... Mamãe chegou e todos querem um colinho gostoso, um beijo molhado da mamãe.

Acredito que a palavra mais doce que existe é mãe..

E vc também é assim... Meio bobona.. Meio babona....
Hoje assisti um desenho muito interessante da Turma da Mônica, o título é: O sumiço de todas as mães..
O desenho descreve o dia em que todas as mães sumiram, os personagems da turma da Mônica ficam apavorados, se vestem com roupas de adulto, parecendo uma mãe e saem á rua para descobrir quem está sequestrando ás mães.
Sabe quem era o responsável por sequestrar as mães?

……..

Um garotinho que quando era bem pequeno durante uma liquidação de uma loja se perdeu da mãe, desde então ele era criado por uma robô… gente me deu vontade de chorar, me emocionei com o desenho….
Como somos importantes para nossos filhos, precisamos nos cuidar, zelar também por nós mesmas, pois somos responsáveis pelos nossos filhos.

Meu Deus.. Não imagino meus filhos sendo criados por outras pessoas, por isso todos os dias peço á Deus saúde para poder educar e garantir um crescimento dos pequenos.
Um grande abraço para vcs…

Assistam o vídeo e depois comentem….

17 janeiro 2012


Tercerização dos filhos

1
SÍNTESE DO LIVRO "A CRIANÇA TERCEIRIZADA"




Encontrei esse material e achei muito interessante, gostaria de compartilhar com vcs.

Os descaminhos das relações familiares no mundo contemporâneo.



As famílias estão se dando conta de que o tempo para amar, fazer carinho, dar certeza de presença e do amor materno e paterno está diminuindo a passos largos. As avós estão se distanciando e também trabalhando sem cessar; já não conseguem preencher as lacunas que, até bem pouco tempo, preenchiam, por terem tempo de ternura sobrando. “Terceirização” parece ser um termo forte demais, mas que mais podemos dizer da “transferência” das funções maternas e paternas para outras pessoas?



A criança hoje é precocemente colocada para fora do lar (creches, escolinhas, etc), recebe atenção eletrônica cada vez em maior quantidade (vídeos, TV e jogos) e ainda é informatizada. E as relações pessoais e humanas, as cantigas e brincadeiras de roda, onde estão? As escolas conseguem cumprir a função educadora, socializadora e emocional? Até onde? A educação, o respeito, o afeto, o amor familiar devem ser apreendidos com os pais. Que resultados esperamos na evolução de crianças cuidadas por pessoas pagas para fazer papel de pai e/ou mãe? Dependendo das patologias emocionais e psicossociais das famílias, tais profissionais se comportam melhor que parentes neuróticos angustiados, que correm sem parar para pagar custos de um comportamento altamente consumista, pressionados por um marketing agressivo que exige dos mais jovens consumo exagerado, que leva à necessidade de ganhar cada vez mais, porque sempre é preciso ter um pouco mais: novo celular, o carro do ano, saldar a prestação da casa, manter o status social ou conservar o emprego que nem sempre se traduz em compensação econômica adequada para as perdas emocionais, principalmente em relação a família.



Será que as mães desta geração acham um sacrifício engravidar, parir, amamentar, limpar e cuidar de seus bebês? Por que será que as pessoas acham vergonhoso ser feliz em sua família e cuidar bem de seus rebentos? E mais, porque continuam querendo ser mães? Para depois não conseguirem assumir suas funções? O que realmente está acontecendo? Não dá para conciliar vida profissional e estudo com as tarefas de mãe e família?



Será que pediatras, psicólogos, mídia em geral não deveria esclarecer a muitas mulheres que pensam e desejam ser mães, mas não sabem o que as espera, achando que a maternidade deve ser realizada a qualquer custo, como quem compra um produto? Não deveriam saber quais são as necessidades concretas de um bebê, a situação real de uma gravidez e a importância dos pais no desenvolvimento infantil?



Famílias sonham em criar e educar crianças, mas não têm o menor interesse em conviver com elas, parindo-as e adotando-as para obter o título de “pais”. Depois se desesperam, não sabem o que fazer com os bebês, não suportam conviver com as crianças. Acham um “saco” parir, amamentar, cozinhar, cuidar, ler histórias, trocar fraldas, acompanhar o crescimento, as fases, o desenvolvimento. O mundo moderno leva muitas pessoas a sonhos tão altos, a exigências tão grandes de crescimento econômico, de conhecimento, de estudos que, parece, não está sobrando tempo para viver, criar filhos, ser feliz com coisas simples da existência. O pretendemos? Onde chegaremos? Estamos defendendo alguma coisa impossível de ser alcançada? Ter filhos é maravilhoso. O problema são as percepções atuais, modernas, do que é ser mãe e pai. Uma criança não é um brinquedinho que alguém resolve ter para alegrar a vida quando lhe convém. É um ser humano, com todas as qualidades, os defeitos e as exigências que seguramente aparecerão mais dia menos dia. Que os filhos, ao chegar, encontrem pais preparados e dispostos a se dedicarem a essa nova fase da vida, a um objetivo claro e definido: criar os filhos, acompanhá-los, compreendê-los, estar presentes nas horas boas ou más e, principalmente, saber que, depois do nascimento de uma criança, há uma mudança clara na vida de uma família. Esse é o problema do qual, muitas vezes, casais não se dão conta. Não é a criança que atrapalha, que é difícil, exigente, são os pais, que atualmente, parecem não estar preparados para abrir mão da correria, da troca do carro, daquele gasto extra, sempre influenciados pelo marketing que os estimula a comprar e consumir. Valeria perguntar: todos os adultos têm condições de se tornar pais?



Algumas crianças tem até três babás, a do dia, a da noite e dos fins de semana. A criança vai ao médico acompanhada pela babá ou avó que muitas vezes não sabe da rotina e história da criança. Nesse tipo de relacionamento terceirizado, podemos observar outros fenômenos. Quem educa? Quem orienta? Quem coloca os limites? A educação tanto formal como ética e moral, acaba sendo transferida para outras pessoas ou as escolas; assim os pais esperam que elas desempenhem essa função. Há uma constante transferência de responsabilidades. E, se formos um pouco mais adiante, perceberemos que a formação do caráter dessa criança acaba sendo feito pela babá eletrônica, por meio da TV, dos jogos eletrônico, dos DVD’s , dos filmes. Algumas babás, assim que as mães saem, colocam a criança na frente da TV para que fiquem quietinhas. É notória a criança viciada em TV, pois onde chega, quer assistir TV, não tem criatividade, não interage, seu comportamento e vocabulário é totalmente repetição daquilo que assiste. Dá pra perceber a ausência de relacionamento familiar na formação da criança.



Diante de tanto despreparo dos pais, assistimos crianças esquecidas pelos pais dentro dos carros, falecendo de desidratação. Outros trancam a criança no carro para ir a bailes! Quase sempre são acidentes, mas confirmam o abandono. Estariam essas pessoas preparadas para a paternidade/maternidade?



E o que é o abandono? Abandonada é a criança não assistida pela família e que não tem relação de continuidade com ela, mesmo que esteja em instituição ou abrigo. Não estou falando apenas das crianças menos favorecidas, mas também daquelas que vivem em “gaiolas de ouro”, têm todo o conforto, freqüentam as melhores escolas, têm os melhores brinquedos, mas não têm o amor, o cuidado dos pais.
Viver em família é a melhor solução para a prevenção de distúrbios de desenvolvimento físico, emocional e cognitivo. Ninguém pode substituir a relação pessoal familiar, com a mãe, pai e os familiares mais próximos. Não quero dizer que todas as babás sejam prejudiciais. A famosa frase diz: “a mãe é quem cuida”, aplica-se muito bem aqui, pois a criança tem tudo, menos o amor verdadeiro dos pais. Infelizmente, muitas comprovações levam a acreditar que salvo exceções, tais crianças “poderão ser adultos como qualquer outra criança que tenha vindo de um lar caótico e disfuncional, crescendo sentindo-se pouco valiosa, não merecedora de cuidado, podendo ter dificuldades de cuidar de si mesma. Famílias numerosas também podem sobrecarregar a mãe de tal forma, que a criança pode se sentir abandonada, onde muitos exigem a atenção dos pais e estes não conseguem atender a todos.
E a educação? Quem determina isso? Com base em que conceitos culturais, psicológicos, familiares? As crianças mimadas quase sempre são aquelas que vivem cercadas de pessoas, mas nenhuma delas define um parâmetro educacional. Umas temem perder a simpatia da criança. E o que no começo é alegria, depois se transforma em choro, rebeldia, gritaria, insônia. Crianças terceirizadas costuma ser “soltas”. Como os cuidadores não são os pais, na maior parte dos casos, a função de educar fica prejudicada para que não pareça que há exagero no cargo que ficou sob a responsabilidade da babá ou avó.
Algumas crianças terceirizadas se tornam mini-executivas: vão à escola, à aula de inglês, à aula de tênis, futebol, professor particular, mas não têm tempo para brincar, fantasiar, saltar, ser livres, tudo o que elas GOSTAM E PRECISAM. Vivem em gaiolas de ouro, com dinheiro suficiente para ter sua vontade realizada. Nas classes baixas, a rua é abandono; na classe média ou alta, o mesmo desprezo é disfarçado de muitas horas cheias de atividades que apenas visam preencher lacuna de não –presença, se tornando alvo fácil para o consumismo.
Não posso esquecer das mães de vida difícil e sacrificada que traz consigo a problemática da necessidade de sobreviver e da modernidade de um sistema cruel que lhe cobra, mas não lhe oferece saída. Se ao menos as mães tivessem sua jornada de trabalho reduzida e um benefício que lhes ajudasse, como é feito em outros países com França e Holanda?
O que se pretende com essa reflexão é a maternidade e paternidade consciente. Não dá pra pensar em trabalhar tempo integral, fazer pós-graduação à noite, comprar uma casa, continuar na vida de solteiro e ter um filho! Essas coisas são muito difíceis de serem levadas a sério e com competência. Algo não será feito adequadamente.
Em nossa sociedade já não se pode falar em patriarcado e matriarcado. O que temos realmente, salvo exceções interessantes, é a ausência de definições de papéis, de quem assume o que em relação à família ou aos filhos. As pessoas vivem com medo de ser criticadas, de assumir que tiveram a coragem de fazer uma opção pela família. O que se propõe? A volta da mulher à condição de dona de casa e rainha do lar? Claro que não, o que se propõe é a conscientização da paternidade e maternidade. Crianças choram a noite, nem sempre dormem bem, precisam de cuidados especiais, de limpeza, de banho, alimentação, ser educadas e acompanhadas até idade adulta. Será que todos os seres humanos precisam ser pais? Sejamos sinceros, nem todo mundo está disposto a arcar com esse ônus. Talvez seja melhor adiar um projeto de maternidade, e mesmo abrir mão dessa possibilidade, do que ter um filho ao qual não se pode dar atenção, carinho e, principalmente, presença constante.



_________________________________________

Síntese feita Luciene Rochael para o livro "A Criança Terceirizada" de José Martins Filho, médico pediatra, professor da pós-graduação em Saúde da Criança e do Adolescente, além de pesquisador do Centro de Investigação em Pediatria.

16 janeiro 2012


Supernanny

4
Segue uma matéria muito interessante da Cris Poli.



A educadora e apresentadora do "Supernanny", do SBT, a argentina Cris Poli, de 61 anos, colocou tudo no papel. Algumas histórias de seu casamento e de sua família, citações da Bíblia e, principalmente, a grande crença que norteia seu trabalho: a necessidade de se voltar à educação nos moldes mais antigos, com limites, regras e disciplina. O resultado foi o livro "Filhos autônomos, filhos felizes" (Editora Gente), que ela está lançando em todo o País. Em um dos capítulos, Cris comenta que uma geração recente evitava dizer "não" aos filhos "para que não ficassem traumatizados". Assim, segundo a apresentadora, crianças e adolescentes cresceram sem medidas e se transformaram em protagonistas de cenas de violência que estão em todos os jornais. "Jovens estão matando pais e avós; tomam uma série de atitudes equivocadas, transformando-se em verdadeiros marginais", escreve ela. Entre dezenas de conselhos, dicas e exemplos, Cris Poli bota os pontos nos is: o pai deve dar a direção da casa, você precisa impor limites ao seu filho desde bebê, castigo é diferente de disciplina e como fazer para melhorar seu casamento.
O livro é mais pessoal do que o Supernanny. Você fala da sua vida e o pontua com salmos e provérbios, citações da Bíblia...

Cris Poli- O livro tem como objetivo ampliar um pouco mais, aprofundar o que é dado no programa. E tem mais a minha cara.

Você é evangélica?

Sou.

Há muito tempo?

Ah, sim... Dezessete anos. Coloquei as citações por que acho bom refletir sobre a palavra de Deus, que tem a ver com a educação, com o crescimento das pessoas.

Você conta que o início do seu casamento foi difícil e fala sobre a educação do seu neto menor...

Gosto de dar exemplos práticos, concretos. Mostrar que todo mundo tem dificuldades e que, com boa vontade, dá para resolver. A vontade de acertar é muito importante, assim como passar pelos obstáculos. Isso fortale as relações.



Acredita realmente que a educação liberal leva à violência e às atitudes equivocadas dos jovens?

É um tempo de muita permissividade. Os problemas de violência são conseqüência de uma geração que não podia dizer "não " aos filhos, que não podia "traumatizá-los". Claro que existe o problema social. Mas a violência entre os jovens é vista em todas as classes.

Muito dessa permissividade vem da culpa dos pais por trabalharem demais e acharem que não dão a atenção devida aos filhos?

O fato de o casal trabalhar fora é bem determinante nas atitudes que tomam. Principalmente, a mulher, que se sente ainda mais culpada por estar longe dos filhos. O problema é quando querem encobrir tudo não colocando limites. Acho que eles têm que aprender a se adaptar às circunstâncias. Não colocar limites pode prejudicar muito mais a criança.

As crianças de hoje podem tornar-se adultos equilibrados, seguros, como aquelas que foram criadas tendo a mãe por perto, o pai almoçando em casa, as conversas em família, à noite?

Acho que as crianças educadas hoje, mesmo ficando o dia todo com a babá, com a avó ou na escola, podem ser adultos equilibrados e felizes. É mais difícil, mas pode acontecer, sim. Os pais é quem têm que saber muito bem quem fica com as crianças. Dá mais trabalho ter essa preocupação, mas o retorno é gratificante. Devem procurar uma escola ou creche que tenha a ver com a educação que querem dar aos filhos, explicar a avó ou a babá exatamente como proceder, acertando com elas as regras e os limites.



Você diz no livro que "a fala do pai soa para os filhos de modo muito mais firme que a da mãe". O pai é quem deve dar a última palavra?

O pai e a mãe têm uma função complementar, os dois devem participar efetivamente da educação da criança. Mas o pai que não se mostra como autoridade gera a falta de um referencial masculino. Ele é cabeça do casal. A criança precisa ver o pai na sua posição e a mãe na posição dela. O que tenho encontrado nas casas onde vou é um pai ausente, que, quando aparece, é para gritar ou bater.

E se a mãe for solteira, viúva, enfim, sozinha?

A situação é mais complicada. Aí, é que está o desafio: exercer a autoridade e ser doce e compreensiva nos momentos certos. Quando os pais são separados, as crianças ficam realmente numa situação mais difícil. Mas é o tempo que nós vivemos. Temos que nos adequar a isso.

A TV , a internet e os videogames são apontados no livro como, muitas vezes, inadequados às crianças. O que os pais devem fazer?

É necessário colocar horários! Não pode deixar a criança livre para ver o que quiser, quando quiser. Há conteúdos de violência, pornografia, jogos que simulam matanças... A criança tem que dividir o tempo livre com outras atividades, com a família. Brincar, conversar, contar como foi o seu dia. Os pais devem ter controle sobre o que os filhos vêem: tem muita porcaria por aí. Se você não sabe o que seu filho está assistindo e por onde navega, não sabe da vida dele. Se notar que os jogos do videogame são violentos, têm que mandar parar! Se assistirem o tempo todo a esse tipo de conteúdo, tornam-se violentas também. É isso que vejo nas casas. Quando dizem: "Meu filho bate, grita, não dorme", pergunto logo o que ele assiste. Hoje os pais estão reclamando da permissividade de uma geração que não pôs limites.



Quando você indica a troca de um videogame por um brinquedo educativo, de montar, as crianças não ficam revoltadas?

As brincadeiras que introduzo são compartilhadas com os pais. E elas gostam de brincar com eles. Seria uma utopia se eu entrasse nas casas e dissesse: ´Seu filho não pode ver TV, navegar na internet e jogar videogames`. Tem que se chegar ao equilíbrio.

No livro, você conta o caso de um menino que guardou a mesada e perguntou ao pai se com aquele dinheiro poderia comprar uma hora dele para brincarem juntos...

É verdade. As crianças querem brincar com os pais. O problema é que, além da falta de tempo, os adultos não têm paciência. É mais fácil deixar o filho em frente à televisão. O que mais vejo é cada um num lugar da casa, assistindo a um programa diferente em seu próprio aparelho de TV, com o prato de comida na frente. Isso acaba com a família, com o casamento.

Você explica que "castigo "é punição, agressão, enquanto disciplina é ensino`. Muitas vezes, estão numa linha tênue. Como os pais devem evitar o castigo?

Qualquer lugar onde você vai, no seu trabalho ou no supermercado, tem regras. Em casa também tem que ser assim. É bom lembrar que elas podem ser mudadas conforme as necessidade, com o crescimento da criança. É essencial dar limites sem exaltar-se, sem perder o controle.

E as chantagens, as barganhas que muitos pais fazem para conseguir o que desejam dos filhos?

Chantagem não é bom. É melhor avaliar a criança pelo comportamento e incentivá-la. Não necessariamante com um presente. Se ela se comportar bem, você pode oferecer um passeio, no fim de semana, ou convidar um amiguinho dela para vir à sua casa, por exemplo.

Sempre elogiar e nunca humilhar a criança é um dos tópicos do livro. Isso é importantíssimo, não?

Se a mãe e o pai chamam o filho de burro, de incapaz, isso vai entrando na mente da criança, que se sentirá inseguro, incapaz mesmo, até quando adulto. Essas humilhações vão se refletir no colégio, nas relações sociais, na vida da pessoa, de forma geral. O importante é corrigir as coisas erradas sem ênfase e elogiar as certas, com entusiasmo e de modo sincero. Se você observar, é muito mais fácil enfatizar as coisas negativas do que as positivas. E é isso que deve mudar.

Em resumo, o que você prega no livro é a volta de uma educação mais severa?

Não, de uma educação mais firme. Sem medo de colocar limites, mas com amor. O amor sozinho acaba estragando. Os limites sozinhos ficam muito severos. Temos que resgatar os valores básicos, morais, da família, que se perderam com o tempo. É bom olhar para trás e encontrar um equilíbrio hoje, visando o futuro.


Cris Poli é educadora há 40 anos. Apresentadora do Reality Show Super Nanny, no SBT e autora dos livros "Filhos Autônomos, Filhos Felizes" e "Pais separados, filhos preparados.

13 janeiro 2012


Bolo de cenoura

2
Meninas vou confessar pra vcs que sou fã de bolo de cenoura, me faz lembrar a casa da vovó.
Sou privilegiada em ter meus avós, fui muito mimada....
Minhas vovozinhas faziam tudo por mim, bolinho, docinho....

Segue uma receitinha de Bolo de cenoura, vou fazer para os meus pequenos.
Hoje em dia as mães estão perdendo essa essência de cozinhar, de fazer uma comidinha caseira para os filhos, hoje em dia podemos comprar tudo já pronto sem esforço nenhum.
Mas faça isso.... escolha um dia e faça uma comidinha com o seu tempero especial garanto que seu filho um dia vai se lembrar de algum prato especial que você fazia.

Vamos ao bolo de cenoura da vovó.




ingredientes:


Massa

3 cenouras grandes
2 xícaras (chá) de açúcar
2 xícaras (chá) de farinha de trigo
1 xícara (chá) de óleo
4 ovos
1 colher (sopa) de fermento

Cobertura de Chocolate

4 colher de sopa de margarina
8 colher de sopa de chocolate em pó
8 colher de sopa de açúcar
320 ml de leite

modo de preparo

Massa



No liquidificador, bata as cenouras, o açúcar, o óleo e os ovos. Coloque a farinha e o fermento numa tigela e adicione o creme batido no liquidificador. Asse em forno médio por 40 minutos.

Cobertura

Coloque o leite, o chocolate em pó, o açúcar e a margarina numa panela, leve ao fogo e deixe apurar por 40 minutos mais ou menos, até ela engrossar, mexendo de vez em quando.

Novidade da turminha..

2
A turminha está crescendo..
Hannah já está com 02 anos e 03 meses e Ancelmo já completou 09 meses.
Essa semana Ancelmo já andou uns 10 passos sozinho, Hannah está a cada dia mais independente, fala frases maiores com concordância e o vocabulário aumenta a cada dia, quando está com fome abre a geladeira, pega a colherzinha e o iogurte, senta no sofá, está muito linda, mês que vem já estará na escola, estou contando os dias acredito que ela fará muitas amizades e seu desenvolvimento será ainda melhor.

Na matéria de dengo, o Ancelmo fez pós-graduação, pois o garotinho é manhoso..

No mais... não temos muitas novas...
Ah! Já ia esquecendo.. ontem minha filha caiu da cama durante a madrugada, quando eu vi foi o choro... mamãe.... buá´´aáá´´aaa 
 ela rola na cama pra lá e pra cá á noite inteira... não foi nada grave..










No mais...
um beijão pra vcs!!

10 janeiro 2012


Bolinho instantâneo

1
Meninas,

Estava procurando  uma receitinha de bolinho, encontrei essa, vou fazer lá em casa...
é uma boa dica..



INGREDIENTES

1 pacote de macarrão instantâneo (sabor galinha caipira) cozido por 5 minutos e escorrido
1 sache de tempero do macarrão instantâneo
110g batata cozida e amassada
2 colheres (sopa) de queijo parmesão ralado
3 colheres (sopa) de salame fatiado picadinho
1 xícara (chá) de mussarela cortado em cubinhos
Orégano a gosto
1 ovo misturado com 2 xícaras (chá) de leite
Farinha de rosca para empanar

MODO DE PREPARO

Numa tigela coloque o pacote de macarrão instantâneo cozido e escorrido, o sache de tempero do macarrão instantâneo, a batata cozida e amassada, o queijo parmesão, o salame, a mussarela e o orégano e misture bem até formar uma massa bem compacta.
Com as mãos, pegue pequenas porções da massa e faça bolinhas. Passe-as em na mistura de ovo com leite e em seguida na farinha de rosca (faça este processo 2 vezes). Numa panela, com óleo quente, frite as bolinhas até dourar. Escorra em papel absorvente e sirva em seguida.

Fonte:
http://anamariabraga.globo.com/home/receitas/receitas.php?id_rec=6876

09 janeiro 2012


Closet

2


Meninas,

Como havia falado pra vcs nos post anterior...
A minha casa está passando por reformas e precisei mudar todas as coisas para a minha casa no primeiro andar, sabe como é .... arrasta um móvel pra lá.. arrasta outro pra cá e com isso a vida útil dos seus móveis vai por água á baixo..
Sem falar que os movéis de hoje eles já fabricam para não durar muito tempo...
blá...blá....blá... resultado... o meu guarda-roupa se espatifou todo....
Comprar outro.... nan...nani...nanão... cansei de jogar dinheiro no ralo... já tive tantos guardas-roupas...

Decidi reservar um espaço no meu quarto e fazer um closet...
segue um exemplo na foto acima..

Por enquanto coloquei apenas uma haste e pendurei as minhas roupas como se fosse uma loja..
Estou toda Sisi ( Se sentindo.... kaka ).

Um closet é o meu projeto para futuro, depois da reforma....

Meninas sem falar que minha filha não tem como abrir a porta do guarda-roupa, o meu ficava com um cordãozinho para amarrar as portas, pois minha filha abria o guarda-roupa toda hora para  fazer bagunça....



um beijão e taé o próximo post.

Mamãe está um caco

2
Esse final de semana lá em casa foi muito corrido.. pense no  cansaço....
Estou só o pó se soprar eu sumo....
A minha casa está passando por uma reforma.. a secretária do lar não foi trabalhar hoje pela manhã, e aí...

eu fiquei assim....

Levei as crianças para a casa da vovó...
minha mãe  acha a minha filha um doce, mas o menorzinho é manhoso e deixa a minha mãe muito nervosa..ele faz xixi na avó, cospe a papinha.... faz uma bagunça... minha mãe fica um caco...
No final do dia a máquina de lavar está cheia e a casa de minha mãe de doce e restos de comida por todo o lado...

é vida de mãe não é brincadeira....
Foi bom  por um lado o trabalho de graxeira me fez perder algumas graminhas....




06 janeiro 2012


Qual o tamanho do sapatinho ??

2

Oi meninas..





Está corrido demais para postar aqui no Blog, mas agente sempre tem que encontrar um tempinho pra vcs.
Ontem eu recebi um e-mail de uma leitora do Blog, nossa amiga Luciana Pereira, mãe da Gabriela.
Amei o e-mail, a Luciana sempre tem ótimas dicas para postarmos no Blog.
Falaremos então hoje sobre o tamanho do sapatinho ou melhor o tamanho do pé do bebê...
Qual de nós nunca se perguntou:

E agora... Que tamanho de sapato eu compro.... Eu mesma várias vezes precisei trocar o sapato, vou confessar que para comprar sapatos e roupas eu sou péssima, geralmente peço para minha mãe me acompanhar, ela acerta em cheio...

Segue uma tabela que poderá ser útil:

Tamanho médio por idade:


3 a 4 meses n º 14
4 a 6 meses n º 15
6 a 8 meses n º 16
8 a 10 meses n º 17
10 a 12 meses n º 18
12 a 14 meses n º 19
14 a 16 meses n º 20
16 a 18 meses n º 21
18 a 20 meses n º 22

Essa tabela é válida para sapatos.


Conselhos Importantes:


* Os pés de uma criança devem ser medidos cada 3 meses assegurando desta forma a confirmação da necessidade de sapatos novos.

* Uma acomodação correta significa que deve existir um espaço igual à largura do polegar da criança entre a extremidade do sapato e o final do dedo do pé mais longo.

* Certifique-se de que os sapatos apresentam caixas dos dedos arredondadas para permitir aos dedos que se movam livremente.

* Uma palmilha absorvente é útil, porque o pé pode suar muito – as crianças são muito ativas!

Para crianças que pratiquem esporte as necessidades são tão ou mais importantes que as de um atleta adulto. Um pé em crescimento, com os ossos em desenvolvimento necessita de apoio e estabilidade, tendo isto em mente é necessário conhecer todos os sapatos de criança.


Evite passar sapatos de uma criança para outra pois poderão estar viciados (modificados pelo padrão de desgaste da criança), e cada pé precisa de acomodação específica.

Observe o seu filho a caminhar, se apontar os dedos para dentro, fora, tocar com os joelhos ou qualquer outro tipo de anomalia deverá ser verificada por um especialista.

Cuidado na administração de medicação para fungos ou bolhas nos pés.

A medicação forte poderá queimar ou magoar a pele.


Um grande abraço para vcs e até o próximo post.

04 janeiro 2012


Animação de festas infantis - Salvador

8
Olá amigos...

Uma amiga que acompanha o nosso blog trabalha com animações de festas infantis, eu acho o trabalho que ela realiza muito legal.

Eu já estive em várias festas infantis e muitas delas acaba ficando meio que sem graça.... a festa se resume em doces, salgados......
Criança gosta de brincadeira... bagunça... por isso acredito ser impresíndível ter um profissional que anime a garotada..
No aniversário de 01 aninho de  Hannah eu contratei uma equipe de palhaços lá da minha Igreja ( um time voltado para festas evangélicas ) eles pintaram  o 7 lá em casa, fizeram pinturas no rosto, balões de várias cores e modelos.... foi demais.

A amimadora que irei apresentar hoje chama-se Tânia é uma amiga que trabalha com animações de festas em Salvador, cobriu vários eventos inclusive de celebridades como Renato Piaba...
Se vcs quiserem .. segue o contato:
Segue..

Nome: Tânia   Tel: (71) 8742-6790
Salvador - Bahia






A Tânia é muito engraçada, as crianças pintaram e bordaram, até jogaram a doidinha na piscina..

um beijão pra vc Tânia.




Baterista profissional

0
Pesssoal,

Olha que lindo!!!
Ancelmo e Hannah tocando bateria....






Que fofo!!!

02 janeiro 2012


Feliz 2012!!

5
Recebi esta mensagem, resolvi compartilhar....



“Cortar o tempo”


Quem teve a idéia de cortar o tempo em fatias, a que se deu o nome de ano, foi um indivíduo genial.
Industrializou a esperança, fazendo-a funcionar no limite da exaustão.
Doze meses dão para qualquer ser humano se cansar e entregar os pontos.
Aí entra o milagre da renovação e tudo começa outra vez com outro número
e outra vontade de acreditar que daqui para adiante vai ser diferente.
Para você, desejo o sonho realizado.
O amor esperado.
A esperança renovada.
Para você,
Desejo todas as cores desta vida.
Todas as alegrias que puder sorrir
Todas as músicas que puder emocionar.
Para você neste novo ano,
Desejo que os amigos sejam mais cúmplices,
Que sua família esteja mais unida,
Que sua vida seja mais bem vivida.
Gostaria de lhe desejar tantas coisas.
Mas nada seria suficiente para
Repassar o que realmente desejo a você.
Então, desejo apenas que você tenha muitos desejos.
Desejos grandes e que eles possam te mover a cada minuto, ao rumo da sua FELICIDADE!”

Um grande abraço!!!
Ah! estas flores são para você, com todo o nosso carinho..
O Bebê Boneca deseja um ano repleto de realizações!!

Um beijão!!